Quem sou eu

Minha foto
Nascido em 06 de junho de 1974, tendo um encontro com Cristo aos 15 anos de idade,desde então militando em prol do crescimento do Reino de Deus.Dedicado pai, esposo e amigo, milita no serviço ativo da PMPI desde 1994,onde alcançou a patente de 1º SgtPm,casado com a Sra.Carmiranda, desta união abençoada nasceram-lhes dois filhos Adiel e Abdiel, atualmente envolvido com o trabalho missionário da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Estado do Piauí e estudante de teologia(Bacharel) .
Loading...

domingo, 23 de janeiro de 2011

O Poder Atrativo/irresistível da Comunhão na Igreja

O ensino sobre comunhão é a idéia central e fundamental dos documentos ou registros bíblicos, desde o Concílio em Jerusalém, segundo Atos 15. A lição de 23 de janeiro focaliza esta idéia de koinonia trazendo a idéia de cooperação e relacionamento espiritual entre os cristãos, o que mais explica ou exemplifica esta comunhão fraternal (koinonia) é a figura metafórica do corpo, daí o conceito para comunhão, segundo a lição em apreço, expressar este conteúdo: Comunhão é o vinculo de unidade fraternal mantida pelo Espírito Santo e que leva os cristãos a se sentirem UM SÓ CORPO em Jesus Cristo. Ainda, segundo a lição em estudo, compreendemos que a base ou alicerce para esta Comunhão estar fortalecido e reside na UNIDADE:
Atos 2: 42
1- Unidade Doutrinária;
2- Unidade na própria Comunhão;
3- Unidade no Partir do Pão e;
4- Unidade nas Orações.
Os Frutos desta comunhão dependem de uma chuva abundante sobre a semente da UNIDADE, se plantarmos esta semente de unidade em nossos templos ceifaremos em quantidade:
1- Temor a Deus (At.2: 43 e Pv.1: 7);
2- Sinais e Maravilhas (At.2: 43);
3- Assistência Social (At.2: 44,45)
4- Crescimento (At.2: 47b)
5- Adoração (At.2: 47)

Segundo Willian Barclay a igreja de Deus é soma (corpo) e é composta de melos (membros), observe que de melos surge melodia, daí Willian Barclay enumera marcas da igreja em Jerusalém que fizeram ela (a igreja) ser notada naqueles dias, segue então a lista de Barclay na minha visão própria no esboço do pensador inglês:
1- Era uma igreja (corpo) que gostava de aprender;
2- Era uma igreja (corpo) que praticava a oração;
3- Era uma igreja (corpo) marcada pelo temor e reverência;
4- Era uma igreja (corpo) que adorava;
5- Era uma igreja (corpo) que via coisas maravilhosas acontecerem;
6- Era uma igreja (corpo) alegre;
7- Era uma igreja (corpo) que se fazia amada;
Aqui Barclay diz que a igreja não era marcada apenas pelo aghatos (boa), mas notada pelo kalos (desejável).
8- Era uma igreja onde existia e abundava a koinonia (comunhão);
Participação voluntária e alegre de todos em tudo quanto a igreja realizava.
9- Era uma igreja formada por um Corpo e composta de vários membros.
 A marca visível da Igreja e da presença do Espírito Santo em nosso meio estar na Unidade da Comunhão fratenal, que expressa o grande amor de Deus pelo mundo.Retratando a comunhão entre os Santos o português Camilo Castelo Branco escreve: O amor de Deus é inseparável do amor do próximo.É impossível no coração humano o incêndio suavíssimo do amor de Deus, quando o grito da miséria não desperta no coração a mágoa das aflições do próximo.

Um comentário:

  1. A comunhão é associação com uma pessoa, envolvendo amizade com ela e incluindo a participação nos seus sentimentos, nas suas experiências e na sua vivência, relacionamento que envolve propósitos e atividades comuns.
    Segundo a etimologia, no grego comunhão significa koinonia – κοινωνία - koino̱nía.
    Definindo espiritualmente pela palavra de Deus, pois a palavra comunhão é um termo absoluto da religião, comum ao Cristianismo, diferente de palavras, como ekklesia, oriunda da cultura helênica e introduzida, no uso do cristianismo, sendo hoje uma palavra comum a Igreja de Cristo e as demais.Comunhão é um estado possível de se estabelecer uma relação, entre uma ou mais pessoas, um grupo ou entre todos de uma só fé, sob um pensamento único à respeito da fé que comungam, mas se traduz entre eles, numa absoluta harmonia, sem dolo, sem malignidade, sem oposição, em amor”.
    A comunhão é além de relacionamento, fruto de um batismo, no qual toda a população da Igreja espiritual, não a institucional, foi batizada a Cristo.
    Como a Congregação de Israel foi batizada em Moisés. E todos foram batizados em Moisés, na nuvem e no mar...
    E é isto que eu entendo sobre comunhão..
    Espero que você tenha gostando do meu comentário...obrigada
    maynara lima

    ResponderExcluir