Quem sou eu

Minha foto
Nascido em 06 de junho de 1974, tendo um encontro com Cristo aos 15 anos de idade,desde então militando em prol do crescimento do Reino de Deus.Dedicado pai, esposo e amigo, milita no serviço ativo da PMPI desde 1994,onde alcançou a patente de 1º SgtPm,casado com a Sra.Carmiranda, desta união abençoada nasceram-lhes dois filhos Adiel e Abdiel, atualmente envolvido com o trabalho missionário da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Estado do Piauí e estudante de teologia(Bacharel) .
Loading...

sexta-feira, 25 de julho de 2014

NEM CONTRA ISRAEL E NEM CONTRA A PALESTINA – OREMOS PELA PAZ NA FAIXA DE GAZA

Não sou esquerdista, não tenho partido político, não sou contra a nação de Israel, tampouco contra os palestinos, simplesmente sou cristão. 

Ora, assim posto, tentarei me posicionar de maneira equilibrada sobre a repercussão dos conflitos na faixa de gaza. Não encontro fundamentos históricos, sociológicos, teológicos e bíblicos para apoiar a morte de pessoas inocentes nesta guerra, muito menos, para interagir mesmo a distância com um dos lados apenas. 

Tenho visto várias campanhas nas redes sociais em prol de apenas um dos lados, propagandas que elevam a posição de uma Nação e rebaixam a outra à condição de esquecida e abandonada por Deus, ou seja, merecedora dos castigos eternos e, como o Jonas da Bíblia nos encolerizamos quando lembrados que Deus não faz acepção de pessoas, povos e nações.

Quando deixamos de orar pela paz de um País como cristãos estamos nos afastando daquilo que nos é proposto pelo cristianismo, entendendo cristianismo como ensinamento de Cristo. Ora, biblicamente a Nação de Israel abandonou a sua missão, os rabinos afirmavam orgulhosamente que nenhuma nação estava tão próxima de Deus quanto Israel. Isso era verdade como parte da aliança de Deus com Israel; porém, a proximidade não devia ser entendida como exclusividade. Ao contrário, era um privilégio de comunicação do qual deveria fluir um testemunho constante aos que estavam longe; isto é, aos gentios. Israel falhou nesse dever.

A igreja de Cristo foi chamada para dar continuidade à missão que era de Israel, a de revelar Deus aos homens e, hoje de testemunhar a todas as Nações que em Cristo (Deus) somos um só povo. Com isto não estou dizendo que Israel não é mais o povo escolhido de Deus, a promessa de Deus a Abraão permanece viva, a história da redenção alcança seu apogeu com o nascimento, morte e ressurreição de Jesus Cristo. O que devemos compreender é que em Cristo desaparece completamente o muro de separação e a distância. NELE existem proximidade, cidadania celestial, promessa de vida eterna, salvação, esperança e paz.

Seria um gesto de egoísmo de nossa parte, neste momento, orarmos para que haja paz somente em Israel ou somente na Palestina.  Então, como bons cristãos, devemos orar pela paz de Israel e de todos os povos.