Quem sou eu

Minha foto
Nascido em 06 de junho de 1974, tendo um encontro com Cristo aos 15 anos de idade,desde então militando em prol do crescimento do Reino de Deus.Dedicado pai, esposo e amigo, milita no serviço ativo da PMPI desde 1994,onde alcançou a patente de 1º SgtPm,casado com a Sra.Carmiranda, desta união abençoada nasceram-lhes dois filhos Adiel e Abdiel, atualmente envolvido com o trabalho missionário da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Estado do Piauí e estudante de teologia(Bacharel) .
Loading...

terça-feira, 26 de julho de 2011

Terrorista se proclamava como darwinista, não cristão

Manifesto de norueguês mostra Breivik como não religioso e não tendo nenhuma fé pessoal

WASHINGTON, EUA — Uma análise do manifesto de 1.500 páginas de Anders Behring Breivik mostra que a atitude dos meios de comunicação de apressadamente caracterizar o terrorista norueguês como “cristão” pode ser incorreta do mesmo jeito que foi incorreto chamar Timothy McVeigh, o terrorista do ataque a bomba na Cidade de Oklahoma, de cristão.
Breivik foi preso no final de semana, acusado de dois ataques brutais em Oslo, Noruega, e nas redondezas dessa cidade, inclusive uma explosão na capital que matou 7 pessoas e uma orgia de tiros num retiro político de jovens na ilha de Utoya que matou mais de 80 vítimas.
Juntando os pedaços das várias postagens de Breivik na internet, muitas reportagens dos meios de comunicação caracterizaram o terrorista — que diz que estava transtornado com as políticas multiculturalistas impulsionadas pelo Partido Trabalhista da Noruega — como “extremista de direita e cristão fundamentalista”.
Entretanto, embora McVeigh tivesse rejeitado Deus completamente, Breivik escreve em seu manifesto que ele não é religioso, tem dúvidas acerca da existência de Deus, não ora, mas afirma a supremacia da “cultura cristã” da Europa bem como sua própria cultura nórdica pagã.
Por outro lado, Breivik louva Charles Darwin, cujas teorias da evolução se opõem às afirmações da Bíblia, e afirma: “Quanto à Igreja e à ciência, é essencial que a ciência tenha uma prioridade indiscutível sobre os ensinos da Bíblia. A Europa sempre foi o berço da ciência, e deve sempre prosseguir desse jeito. Com relação ao meu relacionamento pessoal com Deus, imagino que não sou um homem excessivamente religioso. Sou em primeiro lugar um homem de lógica. Contudo, apoio uma Europa cristã monocultural”.
O terrorista de forma franca também confessa que não encontra apoio, nem nas igrejas protestantes nem católicas, para suas ideias violentas.
“Tenho a confiança de que a futura liderança de uma hegemonia conservadora cultural na Europa garantirá que a atual liderança eclesiástica seja substituída e os sistemas sejam de certo modo reformados”, escreve ele. “Temos de ter uma liderança eclesiástica que apoie uma futura cruzada com a intenção de libertar os Bálcãs, a Anatólia e criar três estados cristãos no Oriente Médio. São necessárias inciativas para facilitar a desconstrução das igrejas protestantes, cujos membros devem se converter de volta ao catolicismo. As igrejas protestantes tiveram um papel importante em outros tempos, mas suas metas originais já foram alcançadas e contribuíram para reformar a Igreja Católica também. A Europa tem de ter uma Igreja unida liderada por um papa justo e não suicida que tenha disposição de lutar pela segurança de seus súditos, principalmente com relação às atrocidades islâmicas”.
Embora Breivik tenha dito que se considera “100 por cento cristão”, ele também expressa orgulho em suas raízes genealógicas.
“Tenho orgulho de minha herança Viking”, escreve ele. “Meu nome, Breivik, é o nome de uma localidade do Norte da Noruega, e dá para datá-lo até mesmo antes da era Viking. Behring é um nome germânico de antes da era cristã, o qual é derivado de Behr, a palavra germânica que significa Urso (ou ‘aqueles que são protegidos pelo urso’)”.
E embora ele tivesse se caraterizado como “cristão” e “protestante”, Breivik disse que apoia “uma reforma do protestantismo que o leve a ser absorvido pelo catolicismo”.
De forma semelhante, as reportagens dos meios de comunicação caracterizavam McVeigh como um “cristão”, embora ele tivesse de forma categórica negado toda e qualquer convicção e crença religiosa — colocando sua fé na ciência.
Breivik acrescenta: “Fui de moderadamente agnóstico para moderadamente religioso”.
Numa seção de perguntas e respostas de seu manifesto, Breivik se pergunta: “Quais deveriam ser nossos objetivos civilizacionais? Como você imagina uma Europa perfeita?”
Sua resposta dificilmente se parece com a resposta de um “utópico cristão”: “O pensamento ‘lógico’ e racional (certo grau de darwinismo nacional) tem de ser a base fundamental de nossas sociedades. Apoio a propagação do pensamento racional coletivo, mas não necessariamente num nível pessoal”.
O manifesto de Breivik nunca menciona adoração e estudo religioso como parte da rotina dele para se preparar para sua missão de assassinatos em massa. Ao discutir seus preparativos para o ataque, ele escreve: “Tem sido um processo de longo prazo desde que decidi pela primeira vez que eu queria contribuir. Mas não é como se eu tivesse estado isolado há anos. Tenho vivido uma vida quase normal até agora. Ainda tenho um relacionamento íntimo com meus amigos e família, não tão estreito quanto costumava ser. Quanto à minha situação atual, venho trabalhando num livro agora por quase dois anos. É essencial que você se recompense e goze a vida nesse período. Você pode fazer coisas que normalmente você não faria. Você pode basicamente viver uma vida normal se escolher; você tem de ter cuidado extra. Venho praticando certos rituais e meditação para fortalecer minhas crenças e convicções. Para mim, o ritual mais comum é dar uma longa caminhada escutando minha música favorita no meu iPod”.
Breivik também aponta para o fato de que sua ligação com os valores culturais cristãos tem como base a conveniência política, não a fé ou um compromisso religioso.
“Minha escolha não tem nada a ver com o fato de que não tenho orgulho de minhas próprias tradições e herança”, explica ele. “Minha escolha foi baseada puramente no pragmatismo. Todos os europeus estão neste barco juntos. Portanto, temos de escolher uma plataforma mais moderada que possa apelar para um número maior de europeus — preferivelmente até 50 por cento (realisticamente até 35 por cento)”.
Breivik também afirma ser membro da maçonaria, que muitos cristãos consideram como uma organização religiosa esotérica.
Mais especificamente, ele se chama de juiz dos Templários e explica o que isso significa na medida do possível como crença no Cristianismo:
“Considerando que essa é uma guerra cultural, nossa definição de ser cristão não necessariamente significa que você é obrigado a ter um relacionamento pessoal com Deus ou Jesus”, escreve ele. “Ser cristão significa muitas coisas; que você crê e quer proteger a herança cultural cristã da Europa. A herança cultural europeia, nossas normas (inclusive códigos morais e estruturas sociais), nossas tradições e nossos modernos sistemas políticos são baseados no Cristianismo — protestantismo, catolicismo, cristianismo ortodoxo e o legado do iluminismo europeu (a razão é a principal fonte e legitimidade para a autoridade). Você não é obrigado a ter um relacionamento pessoal com Deus ou Jesus a fim de lutar por nossa herança cultural cristã e os costumes europeus. De muitas formas, nossas modernas sociedades e secularismo europeu são consequência da Cristandade europeia e do iluminismo. Portanto, é essencial entender a diferença entre uma ‘teocracia fundamentalista cristã’ (tudo o que não queremos) e uma sociedade europeia secular baseada em nossa herança cultural cristã (o que queremos). Por isso, não, você não precisa ter um relacionamento pessoal com Deus ou Jesus para lutar por nossa herança cultural cristã. Basta que você seja um agnóstico cristão ou ateu cristão (um ateu que quer preservar pelo menos os fundamentos do legado cultural cristão da Europa (feriados cristãos, Natal e Páscoa). Por isso, os PCCTS, os Cavaleiros Templários não são uma organização religiosa, mas em vez disso uma ordem militar ‘culturalista’ cristã”.
De modo bastante repetitivo, Breivik faz tudo o que pode para deixar claro para os leitores de seu manifesto que ele não é motivado pela fé cristã.
“Não vou fingir que sou um homem muito religioso, já que isso seria uma mentira”, diz ele. “Sempre fui muito pragmático e influenciado por meu ambiente secular. No passado, lembro-me de que costumava pensar: ‘A religião é uma muleta para as pessoas fracas. De que vale crer num poder mais elevado se tenho confiança em mim mesmo!? É de dar pena’. Talvez isso seja verdade em muitos casos. A religião é uma muleta para muitas pessoas fracas, e muitas abraçam a religião por razões egoístas como uma fonte de onde extrair força mental (para alimentar sua fraca condição emocional, por exemplo, durante uma enfermidade, morte, pobreza, etc.). Já que não sou hipócrita, direi diretamente que essa é a minha agenda também. No entanto, não senti ainda a necessidade de pedir força a Deus, ainda”.
Traduzido por Julio Severo: http://www.juliosevero.com/

O caso do atirador norueguês e o ódio da imprensa secular

Dr. Fábio Blanco
O caso do norueguês que matou mais de oitenta pessoas em uma ilha de seu país é emblemático, porém, menos pelo modus operandi do atirador e pelas motivações que parecem tê-lo conduzido ao feito, do que pela reação midiática ante a tragédia.
É impressionante como praticamente todos os órgãos de imprensa afirmaram que o assassino era um “fundamentalista cristão”, posicionando-o em uma suposta ala do cristianismo onde estariam os mais perigosos seres humanos que podem existir. Como se os tais fundamentalistas cristãos fossem idênticos aos fundamentalistas islâmicos. Mais ainda, como se existissem esses tais fundamentalistas cristãos apontados por eles.
A tática é antiga: todos aqueles que são radicais, violentos, segregacionistas, xenófobos e não socialistas, se não forem islâmicos, logos são encaixados dentro da denominação de cristãos fundamentalistas. Ainda que eles não frequentem uma igreja, ainda que não sigam absolutamente nada do que as Escrituras Sagradas ensinem, ainda que sequer se digam cristãos, os meios de comunicação correm para estigmatizá-los como malvados cristãos conservadores.
Isso, com efeito, é apenas a demonstração de como o cristianismo é odiado. Quando a mídia chama de cristão um terrorista, ela apenas está projetando o seu próprio ódio, deixando claro quem é o seu inimigo, exteriorizando o seu rancor. Ela age como uma criança que tem seu lanche furtado da mochila e corre para denunciar aquele garoto estranho que senta na última fileira, apenas por que ele é diferente. 
E fazem isso lançando mão de uma associação estúpida entre cristianismo e nazismo, ou neo-nazismo. Quem estudou um pouquinho de história sabe que o nacional socialismo não tem nada a ver com o cristianismo e se alguma vez usou palavras usurpadas do vocabulário cristão, não fez nada diferente do que o próprio socialismo ateu já não tinha feito. Aliás, o nazismo, como seu próprio nome indica, tem seus fundamentos sociológicos e políticos muito parecidos com os do socialismo, como pode ser bem visto nas páginas dos livros de Jonah Goldberg: Liberal Fascism e Viktor Suvorov: O Grande Culpado.
E se não bastasse a mídia secular para culpar o cristianismo de todos os males da sociedade, ainda há os próprios senhores ditos cristãos para teminar de jogar a porcaria no ventilador. Por exemplo (e mais uma vez), o senhor Hermes Fernandes trabalha em favor das linhas inimigas, como um agente infiltrado, fingindo ser o verdadeiro defensor de seus pares, quando, na verdade, apenas cria mais embaraços para ele. Em seu artigo Terroristas Cristãos, ele, a despeito de parecer defender os verdadeiros cristãos, na verdade, quando critica o cristianismo do norueguês, o que ele faz é o jogo do inimigo. Quando assume que o atirador é um cristão, ainda que de tendência radical, ele confessa o que a crítica secular afirma: que há uma ala do cristianismo que é perigosa e criminosa.
Claro que o senhor Hermes Fernandes não faz parte dessa facção, afinal ele é um representante do cristianismo bonitinho, pacífico e inclusivo. E quem faz? Os fundamentalistas conservadores, é óbvio. Segundo Hermes Fernandes, o atirador norueguês, como é de se esperar, é um típico fundamentalista, que não é cristão somente porque não se encaixa no perfil considerado correto pelo próprio crítico.
Ora, ora, isso não é exatamente o que a mídia faz? Quando aponta o assassino como fundamentalista cristão ela está, na verdade, segregacionando uma parte do cristianismo, não negando que seja cristã, ainda que nominal, mas como se fosse um lado podre dessa religião. Ao invés de, como seria o correto, negar veementemente qualquer ligação entre o norueguês e o cristianismo, o que eles fazem é colocá-lo em uma suposta facção cristã, a qual, obviamente, incluirá muitos outros radicais, inclusive os odiosos conservadores.
Acontece que o norueguês não era cristão e nem se dizia cristão. O ótimo texto traduzido pelo Julio Severo, em seu site, mostra isso claramente. Não havia qualquer traço de cristianismo nos escritos dele, mas, sim, algo mais ligado às ideias nazistas que, como já disse, nada têm de cristãs. Por que não o chamam de extremista nazista simplesmente ou outro nome que lhe caiba melhor? Por que cristão? Não parece óbvia a razão?
É notório que há um ódio em relação ao cristianismo disseminado por toda a sociedade secular e bem estampado, principalmente, nos órgãos de imprensa. Quando há a mínima chance de condenar, de expor, de rebaixar, a mídia, os críticos e articulistas seculares não se detém, e atiram, contra seus inimigos, com tamanha virulência com palavras quanto o terrorista norueguês o fez com balas.

Silas Malafaia Fala Sobre Igreja Inclusiva: Os Homossexuais Vão Ser Salvos?

Lanna Holder
(Foto: Igreja Cidade Refúgio)
Lanna Holder em ministração. Lanna Holder, que criou Igreja Cidade Refúgio inclusiva, integrando homossexuais sem reconhecer a homossexualidade como pecado, tem resposta de Silas Malafaia.

Por Amanda Gigliotti|Repórter do The Christian Post

Enquanto Lanna Holder, agora assumida a sua homossexualidade, vem com sua Igreja que não considera a homossexualidade como pecado, o pastor Silas Malafaia é contundente em afirmar que os homossexuais não herdarão o Reino dos Céus.
Em entrevista à Revista Exibir Gospel, Silas Malafaia, do Ministério Associação Vitória em Cristo enfatiza a homossexualidade como pecado e alega que o homossexual não é membro da Igreja se permanecer no pecado.

“Como qualquer organização, a Igreja tem regras. O homossexual é bem recebido, mas ele não será membro, porque está no pecado”.

Pastor Silas Malafaia aponta para o versículo 11 de 1 Coríntios que diz, "alguns de vós têm sido (referência aos impuros, idólatras, sodomitas); mas haveis sido lavados, santificados, justificados em nome do Senhor Jesus pelo Espírito do nosso Deus". Desta maneira, não é possível que alguém venha para a Igreja e permaneça homossexual.

Lanna Holder, voltando depois de anos após sua polêmica recaída no lesbianismo, abriu uma Igreja com sua companheira, Comunidade Cidade de Refúgio, que ela chama de inclusiva. Sem lutar mais contra seus desejos homossexuais, hoje ela afirma que a homossexualidade não é pecado, dizendo que a a Bíblia não é clara sobre isso. Ela e sua parceira deixaram seus respectivos esposos no passado.

Lanna Holder está "teologicamente errada e confusa", segundo o pastor Malafaia. "Jesus ama todos, mas não consente que se continue no pecado. à mulher adúltera ele disse ‘Vem, mas, agora, não peque mais’".
Mesmo sem apontar versículos da Bíblia, Malafaia afirmou: “Homossexualidade na Bíblia é pecado, pode tentar, forçar, mas é pecado”. Além disso, como psicólogo ele refuta a idéia de que uma pessoa nasça homossexual.

“Não existe ordem cromossômica homossexual. O cromossomo de um homem hetero é igual ao de um homem homossexual, assim como o cromossomo da mulher hetero é como o da mulher homossexual. Homossexualidade é preferência, aprendida ou imposta, é comportamental”, afirmou.(Grifo nosso).

A Igrejas, que muitas vezes não abordam o assunto nas pregações, devem ter uma atenção especial com os homossexuais, de acordo com Pastor Silas. Os homossexuais pelo geral, se sentem recriminados e julgados e por isso acabam por criar uma barreira que os separa dos Cristãos, levando-os a buscar formas alternativas como tais Igrejas nas quais a homossexualidade é aceita sem julgamento.

“Tem que ajudar, amar e integrá-lo. Muita gente não entende isso. No entanto, se quer ser membro, tem de se submeter às regras. Há salvação para o homossexual, bandido e até para os que se acham politicamente correto. Mas se não aceitar a Cristo, não será transformado, não será perdoado e vai para o inferno. Isso vale para mim e para qualquer um”, foram as palavras de Pastor Silas.

Amy Winehouse Morta: Detalhes da Morte Trágica Emergem

Por Daniel Blake|Colaborador do The Christian Post
 
Detalhes sobre a morte de Amy Winehouse já começam a surgir hoje, tendo sido afirmado que ela comprou uma combinação de drogas, que incluiu a cocaína, ecstasy e ketamina na sexta-feira à noite em Camden.
Winehouse foi encontrada morta em sua casa no sábado à tarde, e ainda a polícia não foi capaz de confirmar a causa exata da morte.

No entanto, uma fonte informou ao povo que Winehouse foi vista comprando uma mistura de drogas nas horas antes de sua morte. Outros relatos dizem que ela estava bebendo muito antes de sua morte.

De acordo com o Sunday Mirror na Grã-Bretanha um "amigo" de Winehouse disse que ela acredita que ela morreu de uma "má” pílula de ecstasy que foi misturada com uma grande quantidade de álcool.

O amigo disse: "Foi uma overdose de ecstasy... Mas isso era obviamente uma pílula desonesta."
Um post-mortem está marcado paradomingo, para determinar a causa exata da morte.

Depois que surgiram notícias desua morte, centenas de fãs e amigos correram para fora de sua casa para ver se a notícia era verdadeira, e um memorial foi estabelecido com pessoas bem-intencionadas para deixar flores e mensagens fora da casa.

A empresa de gestão de Winehouse, Metropolis Music, divulgou um comunicado no domingo dizendo: "Estamos tentando chegar a termos com a morte de um querido amigo e colega, o artista mais incrível e talento.

"Vamos sempre lembrar de Amy como uma vibrante, engraçada, que cuidava de jovens mulheres que fez com que todos ao seu redor se sentissem bem vindos. Perdemos uma pessoa muito especial, parte da nossa família."

Mãe de Winehouse Janis falou de sua preocupação com sua filha quando elas se encontraram apenas 24 horas antes de sua morte. Janis disse: "Ela parecia fora de si. Mas sua morte tão de repente ainda não me bateu."

A mãe de coração partido descreveu a última vez que viu a filha viva, Amy disse à mãe "eu te amo,mãe."
Janis disse: "Estas são as palavras que eu sempre são tesouro e a faz lembrar-se de Amy."

O pai de Winehouse tinha acabado de chegar em Nova York em uma turnê de jazz, quando a notícia da morte de sua filha foi relatada a ele. Ele disse: "Estou voltando para casa. Eu tenho que estar com Amy. Eu não posso quebrar-me por causa dela. Minha família precisa de mim."

Um porta-voz da polícia, em uma conferência de imprensa, confirmou que ainda a causa da morte não havia sido confirmada: "Eu estou ciente de relatórios de uma overdose de medicamentos suspeitos, mas eu gostaria de voltar a sublinhar que post-mortem ainda não foi realizado e seria inapropriado especular sobre a causa da morte”.

"A morte de qualquer pessoa é um momento triste de amigos e família, especialmente para alguém conhecido nacional e internacionalmente como Amy Winehouse. Minha simpatia se estende não só à sua família, mas também para seus milhões de fãs em todo o mundo."

Label Winehouse recorde EUA divulgou um comunicado dizendo: "Estamos profundamente tristes com a perda repentina de tal artista talentosa, música e performer. Nossas orações vão para a família de Amy, amigos e fãs neste momento difícil."

Fuja da Imoralidade

Lei Municipal reconhece Associação Evangélica em Teresina

O projeto de Lei do vereador Edvaldo Marques foi sancionado pelo Prefeito de Teresina, Elmano Férrer.


A Câmara Municipal de Teresina realizou, nesta sexta-feira (22), no plenário da Casa, sessão solene de reconhecimento de Utilidade Pública da Associação Interdenominacional de Pastores – Assisp. O projeto de Lei, de autoria do vereador Edvaldo Marques (PSB), que é presidente da Casa, foi aprovado e sancionado pelo Prefeito de Teresina, Elmano Férrer.


Durante a entrega oficial da Lei 4.118/2011, estiveram presentes os vereadores Edvaldo Marques (PSB), Rodrigo Martins (PSB), Pastor Levino de Jesus (PRB) e Ronney Lustosa (DEM), além de pastores de diversas denominações evangélicas.

O vereador Edvaldo Marques entende que a matéria beneficia uma parcela considerável da população teresinense. “Essa Lei tem grande alcance social, já que nossos evangélicos estão estabelecidos em todas as comunidades de Teresina levando a palavra de Deus”, afirma o presidente da Casa.

À frente da Assisp, o Pastor Roberson Marcelo da Silva acredita que a nova Lei é uma ferramenta importante de união das igrejas evangélicas. “É com alegria que recebemos esse título de reconhecimento da nossa associação, que reúne pastores de diversas denominações, unidos aqui com a mesma fé e ideologia cristã”, ressalta o presidente da Assisp.  

redacao@cidadeverde.com

sexta-feira, 1 de julho de 2011

A Adoração fez parte das Comemorações do Centenário das Assembleias de Deus em Campo Largo - PI

A Bíblia Sagrada em todos os seus Livros é um Hino de Adoração a Deus, principalmente no Livro dos Salmos.Na Bíblia Sagrada estar escrito que Deus habita no meio dos louvores.( Sl 22: 3). De forma sintetizada, encontramos nos textos bíblicos vários cânticos e Salmos, expressões de adoração a Deus.O conceito básico que temos para música é que ela ( a música) expressa os sentimentos da alma, por esta razão, estes Cânticos e Salmos foram entoados nas mais diversas situações, vejamos:

1 - O Cântico de Moisés - Êxodo 15: 1 - 19
2 - O cântico de Miriã - Êxodo 15: 20 - 22
3 - O Cântico de Ana - I Samuel 2: 1- 10
4 - O Cântico de Davi - II Samuel 22: 1 - 51
5 - O Cântico de Isaías - Isaías 12: 1 - 6
6 - O Cântico de Maria - Lucas 1: 46 - 55
7 - O Cântico de Isabel - Lucas 1: 39 - 45
8 - O Cântico de Zacarias - Lucas 1: 68 - 79
9 - O Cântico dos Anjos - Lucas 2: 8 - 14




Um texto bastante conhecido da igreja que atravessou séculos estar no Livro dos Salmos, ele é o de número 100, onde estar escrito:


1 - Celebrai com júbilo ao SENHOR, todas as terras.

2 - Servi ao SENHOR com alegria; e entrai diante dele com canto.
3 - Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu pasto.
4 - Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome.
5 - Porque o SENHOR é bom, e eterna a sua misericórdia; e a sua verdade dura de geração em geração.







Foi com este espírito que a Igreja Assembleia de Deus em Campo Largo Piauí, nas comemorações do Centenário das Assembleias de Deus no Brasil, apresentou - se diante de Deus, pois, a sua misericórdia dura para sempre.

LOUVEMOS AO SENHOR !