Quem sou eu

Minha foto
Nascido em 06 de junho de 1974, tendo um encontro com Cristo aos 15 anos de idade,desde então militando em prol do crescimento do Reino de Deus.Dedicado pai, esposo e amigo, milita no serviço ativo da PMPI desde 1994,onde alcançou a patente de 1º SgtPm,casado com a Sra.Carmiranda, desta união abençoada nasceram-lhes dois filhos Adiel e Abdiel, atualmente envolvido com o trabalho missionário da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Estado do Piauí e estudante de teologia(Bacharel) .
Loading...

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Polêmica: Marco Feliciano e os 600 terreiros da religião afro - Você aceita ou não o auxilio do capeta? Se eu repondesse que sim...


Você aceita ou não o auxilio do capeta?


Apesar de discordar da linha de pensamento do Pastor Marco Feliciano no tocante a algumas declarações feitas por ele neste vídeo preciso, cristalinamente e coerentemente me posicionar quanto à indagação do nobre Pastor Carlos Alberto “Você aceita ou não o auxilio do capeta?”.

Entendendo “auxilio” como adminículo, ou seja, no direito é aquilo que contribui para constituir provas, creio ser teologicamente possível o auxilio do capeta para se alcançar propósitos específicos de Deus.

As declarações de Feliciano nesta pregação lapidando os excessos, em minha opinião, nada mais são do que um desabafo para mostrar a inércia de uma igreja sem causa e sem convicções bíblicas e políticas. Estes 600 terreiros de umbanda levantados, digamos que por Deus, senão por Vontade Soberana, mas como permissiva é prova incontestável ou adminículo contra a inércia da Igreja.

Então, quando para operar propósitos específicos de Deus, a minha resposta é SIM.

Justifico a minha resposta e a fundamento em uma analise da leitura feita em I Samuel 16: 14 - 23; 18: 10 - 11; I Reis 22: 19 – 22; Jó 1: 6 -12 e outras passagens, afirmo que tanto anjos bons e anjos maus estão sujeitos ao poder de Deus. O próprio poder de que Satanás dispõe lhe é permitido por Deus.

Ratificando este meu pensamento, destaco o teólogo A. Neves de Mesquita em sua obra Estudos nos Livros de Samuel, quando comenta I Samuel 16: 14 – 23:

“Deus manda tanto nos espíritos bons como nos maus. Nada escapa ao governo divino, e os demônios são usados para perseguir os que estão desviados. O mundo invisível é muito misterioso para nós que só entendemos as coisas de acordo com a vista. Pode-se entender pelo texto que Deus tanto mandou um espírito mau para Saul, como o permitiu. Tanto vale uma coisa como outra. Em Jó capítulo um (1) verso sete (7), Deus dialoga com Satanás a respeito das atividades deste na Terra. Parece estranho, mas não é. Deus tem sob Seu domínio anjos e demônios, como também, tem os homens, e usa-os no Seu governo providencial, do modo que quer.”

Outro teólogo, Adão Clarke comentando sobre I Reis 22: 23 destaca o seguinte:

“Ele permitiu ou tolerou que um espírito mentiroso influenciasse teus profetas. É indispensável novamente lembrar ao leitor que as Escrituras reiteradamente representam a Deus como o autor daquilo que Ele, no desenrolar de Sua providência, apenas permite ou tolera que ocorra. Nada pode ser feito no céu, na terra ou no inferno, que não seja por Sua atividade imediata ou por sua permissão.”

Ora, a Soberania de Deus é de tal forma inquestionável que, como Lutero podemos dizer que o diabo é o diabo de Deus, no sentido de que a autoridade de Deus é exercida sobre todos os seres e coisas e usa a quem desejar para fazer cumprir o seu propósito.

Concluo,utilizando a última parte do comentário de Rodolfo Gomes à Filipe Martins, na postagem partilhada no perfil do ilustre Pastor Carlos Alberto:

"Quando Deus manda até o diabo obedece!.......”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário